Quadra 103 Sul Av. JK n.º 140 - Edif. JK Business Center Sala 1707, Plano Diretor Sul - Palmas/TO

  • (63) 3322-7900
  • (63) 98468-0882
  • (63) 98468-1026

Pix movimentou R$ 10,9 trilhões em 2022, mais que o dobro do registrado no ano anterior

Segundo dados do BC, sistema de transferência instantânea superou R$ 1 trilhão por mês no último trimestre do ano passado

O Pix movimentou R$ 10,9 trilhões em 2022, segundo levantamento do Banco Central (BC). De acordo com os dados divulgados pela autoridade monetária na semana passada, o sistema de transferência instantânea superou R$ 1 trilhão por mês no último trimestre do ano passado — em dezembro foi registrado o recorde de 1,221 trilhão em transações em um único mês do Pix.

O valor transacionado por Pix em 2002 é mais que o dobro do registrado em 2021, quando o sistema de transferência instantânea movimentou R$ 5,2 trilhões em 9,48 bilhões de transações.

O total movimentado pelo Pix em 2022 é mais que o dobro que o valor registrado ano passado em pagamentos por boletos, que chegou a R$ 5,3 trilhões. As transações de TED no ano passado, contudo, somaram R$ 40,7 trilhões.

Entretanto, em número de transações, o Pix somou 24,3 bilhões no ano passado, muito acima das 4,03 bilhões de pagamentos por boletos e do 1,01 bilhão de transferências por TED.

Esses dados indicam que o tíquete médio das transações do Pix foi de R$ 449 no ano passado, abaixo do boleto (R$ 1.315) e do TED (R$ 40.297 por transação, em média).

Em número de transações, vemos um domínio do Pix. Mas como há a questão da segurança por se tratar de um sistema instantâneo, o Pix tem limite baixo e transações muito imediatas, diferente da TE). O Pix tem essa característica de ser do dia a dia, de operações de pequeno valor e muita velocidade, avalia Jason Vieira, economista chefe da Infinity Asset.

O BC informa que estuda ampliar o Pix em 2023. Entre as novidades estudadas estão o Pix automático — com agendamento de pagamento de serviços recorrentes — e o Pix internacional, com transferências entre usuários em diferentes países.

Além disso, está previsto a entrada em vigor do pagamento de salários, pensões e aposentadorias por Pix. No começo de dezembro o Banco Central havia permitido tal funcionalidade, porém, a pedido do mercado, a vigência para efetivação da mudança ficou para 3 de julho deste ano, para que as instituições financeiras tenham um prazo maior para se adequarem.

O Pix vem atuando de forma muito positiva em alguns segmentos da sociedade, como trabalhadores autônomos, trabalhadores na economia informal, e no mercado de e-commerce, promovendo uma grande inclusão financeira, cita Leandro Vilain, diretor executivo de Inovação, Produtos e Serviços Bancários da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).